Outubro Rosa: Transportes contra o Câncer de Mama

Diversas empresas de ônibus e de sistemas metroferroviários fazem campanhas

ADAMO BAZANI

Neste mês, o mundo se atenta para um grave problema de saúde pública: o câncer de mama.

O Outubro Rosa começou a ser celebrado em 1991, em Nova York, quando foi lançado o símbolo de um laço que representa o autoexame pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura. Aos poucos, a data começou a fazer parte dos calendários oficiais de diversos países.

A primeira iniciativa no Brasil foi a iluminação em rosa do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (o Obelisco do Ibirapuera), em São Paulo, em 02 de outubro de 2002.

Neste ano de 2017, diversas empresas de ônibus e operadores de trens e metrô realizam campanhas e ações, como atendimentos em estações e terminais, assim como a colocação de adesivos e pinturas que deixam ônibus e carros (vagões) das composições rosa, cor símbolo mundial da data.

Os passageiros que passarem pelos terminais da EMTU, por exemplo, terão atendimento de representantes da Associação Rosa Mulher que vai prestar informações sobre a doença com distribuição de materiais explicativos, além de realizar demonstrações e orientações para o autoexame. As ações ocorrem sempre das 10h às 14h

Dia: 03/10
Terminal Metropolitano Diadema (Avenida Conceição, s/n° – Parque Mamede – Diadema)

Dia: 17/10
Local: Terminal Metropolitano Santo André (Rua Visconde de Taunay, s/n° – Centro – Santo André)

Dia: 24/10
Local: Terminal Metropolitano São Mateus (Avenida Adélia Chohfi, 100 – Jardim Vera Cruz – São Paulo)

No Metrô de São Paulo também haverá ações, segundo a companhia.

Nesta terça-feira, dia 3, a Estação Sé recebe a campanha “SAÚDE SEM MISTÉRIO – 10 MITOS SOBRE O CÂNCER DE MAMA”, para testar o conhecimento dos usuários sobre a doença. Na quinta-feira, dia 4, será a vez da Estação Paraíso.

 A iniciativa apoiada pelo Metrô é uma parceria do Instituto de Oncologia e da Pfizer que pretende conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce da doença. Quem passar pelas estações no horário compreendido entre 10 e 16h, poderá responder a um “quiz interativo” composto por dez questões relacionadas ao câncer de mama. 

O quiz estará em uma tela touch screen acoplada a uma promotora, que vai caminhar pela estação e interagir com o público, convidando-o a saber mais sobre o câncer de mama. Todos os participantes receberão um folheto educativo com explicações sobre os 10 principais mitos associados à doença.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer -INCA, o autoexame e o diagnóstico precoce são essenciais para a prevenção e cura. O INCA diz que há 95% de probabilidade de recuperação total caso a doença seja logo descoberta.

O câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres após o câncer de pele não melanoma, mas é o que mais provoca morte de pessoas do sexo feminino no Brasil.  A doença também atinge homens, com 1% do total de casos.

Apenas no Brasil, havia uma estimativa de 57.960 novos casos de câncer de mama no ano de 2016.

Cada vez mais casos têm aparecido em mulheres jovens.

É essencial que a partir dos 20 anos, a mulher se submeta ao exame de mamografia, que também pode ser marcado pelo sistema público de saúde.

O autoexame também é essencial.

Segundo a ginecologista Sheila Sedicias, do Portal Tua Saúde, o autoexame da mama deve ser feito uma vez por mês, todos os meses, 3 a 5 dias após o aparecimento da menstruação ou em uma data fixa nas mulheres que já não têm menstruação.

Passo-a-passo para fazer o autoexame da mama

Para fazer corretamente o autoexame da mama é importante fazer a avaliação em frente ao espelho, em pé e deitada, seguindo os seguintes passos:

  1. Como fazer a observação em frente ao espelho

Para se fazer a observação em frente ao espelho deve-se ficar retirar toda a roupa e observar seguindo o seguinte esquema:

  1. Primeiro, observar com os braços caídos;
  2. Depois, levantar os braços e observar as mamas;
  3. Por fim, é aconselhado colocar as mãos apoiadas na bacia, fazendo pressão para observar se existe alguma alteração na superfície da mama.

Durante a observação é importante avaliar o tamanho, forma e cor das mamas, assim como inchaços, abaixamentos, saliências ou rugosidades. Caso existam alterações que não estavam presentes no exame anterior ou existam diferenças entre as mamas é recomendado consultar o ginecologista.

I

  1. Como fazer a palpação de pé

A palpação de pé deve ser feita durante o banho com o corpo molhado e as mãos ensaboadas. Para isso deve-se:

  1. Levantar o braço esquerdo, colocando a mão atrás da cabeça Palpar cuidadosamente a mama esquerda com a mão direita
  2. Repetir estes passos para a mama do lado direito.

A palpação deve ser feita com os dedos da mão juntos e esticados em movimentos circulares em toda a mama e de cima para baixo. Depois da palpação da mama, deve-se também pressionar os mamilos suavemente para observar se existe a saída de qualquer líquido.

  1. Como fazer a palpação deitada

Para se fazer a palpação deitada deve-se:

  1. Deitar e colocar o braço esquerdo na nuca,
  2. Colocar uma almofada ou toalha debaixo do ombro esquerdo para ser mais confortável;
  3. Palpar a mama esquerda com a mão direita,

 

 

Estes passos devem ser repetidos na mama direita para terminar a avaliação das duas mamas. Caso seja possível sentir alterações que não estavam presentes no exame anterior é recomendado consultar o ginecologista para fazer exames diagnóstico e identificar o problema.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *